Interventions for alopecia areata

  • Review
  • Intervention

Authors


Abstract

Background

Alopecia areata is a disorder in which there is loss of hair causing patches of baldness but with no scarring of the affected area. It can affect the entire scalp (alopecia totalis) or cause loss of all body hair (alopecia universalis). It is a relatively common condition affecting 0.15% of the population. Although in many cases it can be a self-limiting condition, nevertheless hair loss can often have a severe social and emotional impact.

Objectives

To assess the effects of interventions used in the management of alopecia areata, alopecia totalis and alopecia universalis.

Search methods

We searched the Cochrane Skin Group Specialised Register in February 2006, the Cochrane Central Register of Controlled Clinical Trials (The Cochrane Library Issue 1, 2006), MEDLINE (from 2003 to February 2006), EMBASE (from 2005 to February 2006), PsycINFO (from 1806 to February 2006), AMED (Allied and Complementary Medicine, from 1985 to February 2006), LILACS (Latin American and Caribbean Health Science Information database, from 1982 to February 2006), and reference lists of articles. We also searched online trials registries for ongoing trials.

Selection criteria

Randomised controlled trials that evaluated the effectiveness of both topical and systemic interventions for alopecia areata, alopecia totalis, and alopecia universalis.

Data collection and analysis

Two authors assessed trial quality and extracted the data. We contacted trial authors for more information. We collected adverse effects information from the included trials.

Main results

Seventeen trials were included with a total of 540 participants. Each trial included from 6 to 85 participants and they assessed a range of interventions that included topical and oral corticosteroids, topical ciclosporin, photodynamic therapy and topical minoxidil. Overall, none of the interventions showed significant treatment benefit in terms of hair growth when compared with placebo. We did not find any studies where the participants self-assessed their hair growth or quality of life.

Authors' conclusions

Few treatments for alopecia areata have been well evaluated in randomised trials. We found no RCTs on the use of diphencyprone, dinitrochlorobenzene, intralesional corticosteroids or dithranol although they are commonly used for the treatment of alopecia areata. Similarly although topical steroids and minoxidil are widely prescribed and appear to be safe, there is no convincing evidence that they are beneficial in the long-term. Most trials have been reported poorly and are so small that any important clinical benefits are inconclusive. There is a desperate need for large well conducted studies that evaluate long-term effects of therapies on quality of life.

Considering the possibility of spontaneous remission especially for those in the early stages of the disease, the options of not being treated therapeutically or, depending on individual preference wearing a wig may be alternative ways of dealing with this condition.

Resumo

Intervenções para alopecia areata

Introdução

Alopecia areata é uma doença em que há perda de cabelo causando áreas de calvície mas sem cicatrizes na área afectada. Ela pode afetar todo o couro cabeludo (alopecia total) ou causar perda de todos os pelos do corpo (alopecia universal). É uma condição relativamente comum que afeta cerca de 0,15% da população. Embora em muitos casos a doença seja auto-limitada, a perda de cabelo pode frequentemente causar sérios problemas sociais e emocionais.

Objetivos

Avaliar os efeitos de intervenções usadas no tratamento da alopecia areata, alopecia total e alopecia universal.

Métodos de busca

Buscamos no Cochrane Skin Group Specialised Register em Fevereiro de 2006, Cochrane Central Register of Controlled Clinical Trials (The Cochrane Library Edição 1, 2006), MEDLINE (de 2003 a Fevereiro de 2006), EMBASE (de 2005 a Fevereiro de 2006), PsycINFO (de 1806 a Fevereiro de 2006), AMED (Allied and Complementary Medicine, de 1985 a Fevereiro de 2006), LILACS (Latin American and Caribbean Health Science Information database, de 1982 a Fevereiro de 2006), e na lista de referência dos artigos. Também buscamos por registros de estudos onlines para estudos em andamento.

Critério de seleção

Ensaios clínicos controlados randomizados que avaliassem a efetividade das intervenções tópicas e sistêmicas para alopecia areata, alopecia total e alopecia universal.

Coleta dos dados e análises

Dois autores avaliaram a qualidade dos estudos e extraíram os dados. Nós contatamos os autores dos estudos para mais informações. Coletamos informações sobre os efeitos adversos dos estudos incluídos.

Principais resultados

Dezessete ensaios clínicos foram incluídos, com um total de 540 participantes. Cada ensaio incluiu de 6 a 85 participantes e eles avaliaram uma série de intervenções incluindo corticosteroide tópico ou oral, ciclosporina tópica, terapia fotodinâmica e minoxidil tópico. No geral, nenhuma intervenção mostrou benefícios significantes dos tratamentos em relação ao crescimento de cabelo quando comparado com o placebo. Nós não encontramos nenhum estudo onde os próprios participantes avaliaram o crescimento de seus cabelos e sua qualidade de vida.

Conclusão dos autores

Poucos tratamentos para alopecia areata foram bem avaliados em ensaios clínicos randomizados. Não foram encontrados ECRs com o uso de difenciprona, dinitroclorobenzeno, corticosteroide intralesional ou ditranol, embora eles sejam comumente utilizados para o tratamento da alopecia areata. Embora esteroides tópicos e monixidil sejam amplamente prescritos e aparentemente seguros, não há evidências convincentes que eles sejam benéficos em um longo período de tempo. A maioria dos estudos são mal relatados e são tão pequenos que nenhum benefício clínico importante é concluído. Há necessidade urgente de ensaios clínicos grandes e bem conduzidos para avaliar os efeitos na qualidade de vida a longo prazo das terapias utilizadas.

Considerando-se a possibilidade de remissão espontânea, especialmente para aqueles em estágios iniciais da doença, a opção de um tratamento não terapêutico ou, dependendo da preferência individual, usar uma peruca, pode ser um meio alternativo de lidar com essa condição.

Notas de tradução

Notas de tradução CD004413.pub2

Plain language summary

Treatments for alopecia areata, alopecia totalis and alopecia universalis

There is no good trial evidence that any treatments provide long-term benefit to patients with alopecia areata, alopecia totalis and alopecia universalis.

Alopecia areata is a condition that causes patchy hair loss. The size and number of patches and progress of the disease can vary between people. It can affect the entire scalp (alopecia totalis) or cause loss of all body hair (alopecia universalis). Sometimes the condition will get better on its own, but in some cases it can get worse.

Treatments include a variety of different creams or lotions applied to the scalp such as topical or oral corticosteroids, minoxidil and some light-based therapies. Some of the skin treatments can have unpleasant side effects such as itching or hair growth in areas of the body away from where the cream was applied. Oral steroids may cause serious side effects. Also, there is no guarantee that any hair regrown during treatment will persist once the treatment is finished.

We found 17 randomised controlled trials involving 540 participants. Only one study which compared two topical corticosteroids showed significant short-term benefits. No studies showed long-term beneficial hair growth. None of the included studies asked participants to report their opinion of hair growth or whether their quality of life had improved with the treatment.

Resumo para leigos

Tratamentos para alopecia areata, alopecia total e alopecia universal.

Não há ensaios clínicos com boa evidência que mostrem tratamentos com benefícios de longa duração para pacientes com alopecia areata, alopecia total e alopecia universal.

Alopecia areata é uma condição causada por perda irregular, de uma parte do cabelo. O tamanho e o número de áreas com alopecia e sua progressão variam de pessoa a pessoa. Pode afetar todo o couro cabeludo (alopecia total) ou causar perda de todos os pelos do corpo (alopecia universal). Alguma vezes a doença melhora por conta própria, porém, em alguns casos, ela pode piorar.

O tratamento inclui uma variedade de diferentes cremes e loções aplicadas no couro cabeludo, como cortocosteroides tópicos ou orais, minoxidil e algumas terapias a base de luz. Alguns tratamentos de pele podem ter efeitos colaterais desagradáveis como coceira ou pelos crescendo em áreas do corpo distantes do local onde o creme foi aplicado. Esteroides orais podem causar sérios efeitos colaterais. Além disso, não há garantia de que qualquer pelo que cresceu durante o tratamento persista após o término deste.

Achamos 17 ensaios clínicos controlados randomizados envolvendo 540 participantes. Somente um estudo que comparou dois corticosteroides tópicos mostraram significantes benefícios a curto tempo. Nenhum estudo demonstrou benefício a longo prazo de crescimento de cabelo. Nenhum dos estudos incluídos pediu para os participantes reportarem suas opiniões quanto a melhora no crescimento do cabelo ou na qualidade de vida com o tratamento.

Notas de tradução

Notas de tradução CD004413.pub2

Ancillary