SEARCH

SEARCH BY CITATION

Keywords:

  • diet;
  • Felidae;
  • food partitioning;
  • large carnivores;
  • Panthera onca;
  • Puma concolor;
  • sympatry

ABSTRACT

Understanding coexistence between sympatric felines with similar body sizes, such as jaguars Panthera onca and pumas Puma concolor, requires knowledge of the way these predators consume and partition food resources. Yet the importance of livestock predation on jaguar and puma coexistence is poorly known. I investigated food habits and patterns of livestock depredation of jaguar and pumas in the Iguaçu National Park (INP) in southern Brazil. From 1997 to 2001, I collected scats opportunistically on trails and roads in INP and visited ranches on the border of INP. I found that jaguars relied mostly on large and medium-sized wild prey species, while pumas concentrated on medium-sized prey species. Livestock was the fifth most frequent prey found in jaguar scats but the most important one in terms of biomass consumed. Jaguar and puma diets differed significantly when all prey items were compared and also when livestock was excluded from the jaguar diet. Jaguar predation on livestock was considerably higher than predation by pumas. However, predation was not substantial relative to availability of livestock, and cattle likely constitute an alternative source of prey for jaguars. Degree of diet overlap between jaguar and puma in INP suggests that coexistence was likely driven by exploitative competition through some degree of food partitioning. My results highlight the importance of more actions toward increasing numbers of large ungulates to preserve the population of jaguars in INP.

RESUMO

O entendimento da coexistência entre felinos simpátricos com tamanhos corporais semelhantes tais como a onça-pintada (Panthera onca) e a onça-parda (Puma concolor) requer conhecimento de como estes predadores consomem e partilham recursos alimentares. Apesar disto, a importância da predação de gado para a coexistência de onças-pintadas e onças-pardas ainda é pouco conhecida. Eu investiguei os hábitos alimentares e padrões de predação do gado por onças-pintadas e onças-pardas no Parque Nacional do Iguaçu (PNI) no sudoeste do Brazil. De 1997 a 2001 eu coletei amostras fecais oportunisticamente em trilhas e estradas do PNI e visitei fazendas nas bordas do PNI. Meus resultados indicaram que as onças-pintadas predaram principalmente presas silvestres de grande e médio porte, enquanto que as onças-pardas concentraram sua predação em presas de porte médio. O gado doméstico foi a quinta presa mais freqüentemente encontrada nas amostras fecais de onças-pintadas, mas a mais importante em termos de biomassa consumida. As dietas de onças-pintadas e onças-pardas diferiram significativamente quando todos os items alimentares foram comparados e também quando o gado doméstico foi excluído da análise da dieta das onças-pintadas. A predação do gado por onças-pintadas foi maior do que por onças-pardas. Entretanto, a predação não foi importante em relação à disponibilidade do gado, e o gado provavelmente constituiu um recurso alimentar alternativo para as onças-pintadas. O nível de sobreposição de dieta entre as duas espécies de onças no PNI sugere que a coexistência foi provavelmente guiada pela competição na exploração de recursos através de um certo grau de partilha de recursos. Os meus resultados enfatizam a importância da implementação de mais ações voltadas ao aumento das populações de grandes ungulados para preservar a população de onças-pintadas no PNI.